Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Other Side of the World..

Other Side of the World..

Manhã

por Cátia Bernardo, em 22.05.06

O sol acaba de espreguiçar-se
Tentando fazer o seu árduo trabalho
Num dia frio,
Frio que paralisa os movimentos e as ideias,
Que só se deixam aquecer
No silêncio da mente.

As pessoas andam atarefadas
Ao som da sinfonia dos pássaros
Que embelezam o panorama

A água das poças ganha vida
E espelha a realidade
Que nos rodeia.
 

O mundo de aparências,
O mundo de afazeres,
O mundo de maldades encoberto
Por uma manta que afaga tal hipocrisia.

Sorrisos roubados, felicidade iludida
Nesta utopia de vida.
Cada um com os seus sofrimentos,
Cada um com as suas lágrimas,
Cada um com a sua poesia.

 

 

Amor: causa de felicidade ou infelicidade?

por Cátia Bernardo, em 21.05.06

  O amor é a afeição que temos por uma pessoa, ou seja, é um sentimento bom. Ao ser um sentimento bom, devia ser causa de felicidade, mas nem sempre nos conduz a ela. Às vezes, por detrás dessa felicidade esconde-se tristeza e incerteza.

Todos nós já tivemos más experiências no campo amoroso, já sofremos desilusões; quer seja pela perda de alguém, por um amor não correspondido ou por traição. Esses sofrimentos podem tornar-nos pessoas frias, egoístas, com pouca auto-estima, e até mesmo podem fazer com que nunca mais acreditemos no amor. Mas por outro lado, nem sempre são aspectos negativos, pois de certa forma amadurecem-nos e preparam-nos para encarar as situações de uma maneira mais forte.

 

 

  É preferível encarar o amor de uma forma positiva, porque o próprio Mundo gira à volta dele. Não só o amor proveniente das relações amorosas, mas também o amor que sentimos pela nossa família, pelos nossos amigos, pelas pessoas que nos rodeiam e que ajudamos, etc. De certa forma, o amor completa-nos, porque ao sofrermos de uma desilusão amorosa, podemos refugiar-nos no amor da nossa família, ou dos nossos amigos. Sem estes tipos de amor, não haveria felicidade, viveríamos de uma forma apática, sem interesse por nada nem por ninguém, ou seja, não viveríamos, sobreviveríamos.

 

 

      Em suma, eu considero o amor uma causa de felicidade, visto que é ele que nos faz olhar o mundo de uma forma diferente e positiva, dá-nos vontade de viver a vida, de explorar o desconhecido. Isto tudo é a chave de chegarmos mais perto da felicidade, porque "ser feliz não é fazer o que gostamos, mas gostarmos do que fazemos".

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D